Search Here!!!

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Descobertos 60 mil pés de canábis


A polícia do estado brasileiro da Paraíba, no nordeste do país, descobriu e destruiu uma plantação de 60 mil pés de canábis, segundo os cálculos dos agentes que fizeram a apreensão.
A plantação foi descoberta numa propriedade rural isolada, na região do município de Riacho dos Cavalos. No local os agentes prenderam três homens que tratavam dos pés de canábis, e o dono da propriedade foi preso posteriormente em Catolé do Rocha, outra cidade do interior do estado da Paraíba.
Os agentes chegaram até ao local depois de várias semanas de investigação, após terem recebido um alerta da possibilidade de se estar a plantar droga na região. Técnicos do Ibama, Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis que sobrevoavam o sertão do estado para identificarem áreas devastadas pela seca prolongada, aperceberam-se da plantação e alertaram a polícia, que esperou o momento certo para invadir o local quando os traficantes lá estivessem.

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Marcha da Maconha protesta contra projeto que endurece lei antidrogas Manifestação distribuiu drogas lícitas, como bebidas alcoólicas e cigarros, no Viaduto do Chá


O coletivo Marcha da Maconha reuniu cerca de 150 pessoas nesta terça-feira, 2, no Viaduto do Chá, e distribuiu "drogas lícitas" em protesto contra o projeto de lei 7663/10. Proposto pelo deputado federal Osmar Terra (PMDB/RS), o PL prevê uma maior rigidez na lei antidrogas e pode ser votado ainda este mês na Câmara.

Na divulgação do evento nas redes sociais, os organizadores informaram que haveria distribuição de drogas durante o protesto. Ironizando a proibição da maconha e a legalização de outras substâncias, o grupo distribuiu bebidas alcoólicas, cigarros, salgadinhos, doces e revistas, afirmando que esses, sim, "são drogas pesadas".

Os manifestantes enfatizaram que a conduta das autoridades em relação à questão das drogas é contraditória. "Eles falam que não se pode beber e dirigir, mas os postos de gasolina vendem bebida alcoólica", ressaltou um organizador. "Além disso, você vai à noite para a balada e não tem transporte público. A proibição das drogas faz parte de um esquema muito maior do governo, que é a criminalização da pobreza. É desculpa para bater nos pobres." Veja abaixo parte do discurso e a opinião de pessoas no local.



A petição no Avaaz contra o PL 7663/2010 já conta com mais de 28 mil assinaturas. Para os que se opõem à proposta do deputado, o projeto representa um retrocesso das conquistas obtidas no tratamento dos usuários de drogas. "A guerra às drogas faz mal à população, não a droga em si", afirma um dos organizadores do evento no vídeo abaixo, que também mostra a distribuição de "drogas" na manifestação. "Gasta-se muito em verba pública para manter as pessoas presas, então a proibição só piora o sistema em que a gente vive."





"No mundo todo, a gente vê um avanço num sentido contrário, de entender o usuário de drogas e de minimizar a situação do tráfico", afirma outro organizador. Ele diz que defende a regulamentação da venda da maconha, mas não uma liberação desorganizada.




Ronete Rizzo é uma das organizadoras da Marcha da Maconha e diz que a droga não faz mal a ninguém. Ela diz que foram seus filhos que a convenceram de que maconha não causa problemas.






Franciel Leal foi à Marcha da Maconha com o filho pequeno. Ele considera paradoxal o fato de que drogas piores são legalizadas. "Acho a maconha menos prejudicial que o cigarro."







Nova lei. O projeto de lei do deputado Osmar Terra pretende alterar a Lei Antidrogas (11.343/06) e sugere aumentar a pena tanto para tráfico quanto para porte de drogas para consumo próprio, além de defender a internação compulsória de dependentes químicos. O texto também propõe uma classificação das drogas com base na sua capacidade de causar dependência e um sistema de cadastro de usuários de drogas, instituindo o Sistema Nacional de Informação sobre Drogas e o Sistema Nacional de Acompanhamento e Avaliação das Políticas sobre Drogas.

Em seu site, o parlamentar justifica que "o projeto de lei tem por objetivo oferecer proposta para melhorar a estrutura do atendimento aos usuários ou dependentes de drogas e suas famílias e tratar com mais rigor os crimes que envolvam drogas de alto poder de causar dependência". 

Saiba mais sobre este projeto de lei!


Pela primeira vez na história, maioria dos americanos apoia legalização da maconha


Pela primeira vez na história, a maior parte dos americanos defende a legalização da maconha. Ao todo, são 52% a favor e 45% contra, de acordo com pesquisa do Pew Research, um dos mais respeitados institutos de pesquisa dos Estados Unidos.

Em 1969, o número de americanos que defendiam a legalização da maconha era de 12%. Há 20 anos, eram 17%. Mesmo uma década atrás, menos de um terço dos americanos diziam ser a favor da legalização da maconha.

Segundo o levantamento da Pew, atualmente, o apoio à legalização atinge dois em cada três entre os que nasceram a partir de 1980 e hoje estão com 18 a 33 anos (geração do milênio). Na geração X, nascida de 1965 a 1980, é 54%, pouco acima dos baby-boomers, que nasceram entre 1946 e 1964 (50%). Os da geração anterior ainda são mais reticentes, com 32% de apoio.

A defesa da legalização da maconha, assim como do casamento entre pessoas do mesmo sexo e uma reforma da imigração, tem ganho força nos últimos anos nos EUA. Mas, a não ser por políticos da ala libertária do Partido Republicano, quase nenhuma autoridade defende mudanças na lei.

O presidente Barack Obama, considerado “super cool” em outras partes do mundo, leva adiante uma ampla campanha de repressão ao comércio de maconha.

PM apreende 163 quilos de maconha no interior de SP


A Polícia Militar Rodoviária apreendeu 163 quilos de maconha na madrugada deste domingo (7) em Rancharia, a 509 km de São Paulo. A droga foi encontrada em um carro, na Rodovia Raposo Tavares, na altura do km 507. O motorista, um técnico de agropecuária, foi preso e responde por tráfico de drogas.
Segundo informações da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, questionado o motorista disse que receberia 12 mil reais para transportar a droga de Ponta Porã (fronteira do Mato Grosso do Sul com o Paraguai) até o Rio de Janeiro. No veículo, além dos 150 tabletes de maconha, os policiais encontraram uma pequena quantidade de cocaína e 425 reais.
O suspeito, de 30 anos, furou a fiscalização em alta velocidade, abandonou o carro e tentou fugir a pé, mas foi detido pela polícia. Ele está preso na Delegacia de Polícia de Rancharia. 

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Pai e filho abusaram de crianças a troco de cannabis


Um homem de 52 anos de idade, natural da ilha do Faial, foi condenado esta semana a 10 anos de prisão por crimes de prostituição de menores e tráfico de droga.

De acordo com o acórdão do Tribunal da Horta, o indivíduo, na companhia do filho, de 20 anos de idade, terá praticado "actos de natureza sexual" com várias crianças institucionalizadas da ilha, a troco de cannabis, que plantavam numa estufa junto à sua moradia.
Pai e filho recolhiam as raparigas, menores de idade, umas vezes fora da escola onde estavam matriculadas, noutras fora da instituição que as acolhia, e levavam-nas até a um anexo da moradia, onde consumiam drogas e praticavam os actos.
O colectivo de juízes que apreciou o caso, julgado à porta fechado, concluiu que os arguidos forneciam e vendiam também a droga a terceiros.
O Tribunal decidiu, por isso, condenar o pai a 10 anos de cadeia pela prática de dois crimes de prostituição de menores agravados, 10 crimes de recurso a prostituição e um crime de tráfico agravado.
O filho foi condenado a três anos e seis meses de prisão, com pena suspensa, por cinco crimes de abuso sexual e um de tráfico agravado.
O advogado de defesa já manifestou, no entanto, a intenção de recorrer da sentença.