Search Here!!!

domingo, 25 de setembro de 2016

Efeitos da cannabis à saúde

Estudos do efeito da Cannabis à saúde envolvem tanto seu aspectos terapêuticos quanto os adversos ou tóxicos. Apesar dos recentes investimentos em pesquisa sobre sua composição bioquímica, formas de uso farmacológico ou étnico-histórico, risco toxicológico e potencial terapêutico na clínica de distintas patologias, como poderá ser visto neste texto, ainda não se possui um consenso quanto aos prejuízos ou benefícios de sua utilização.

Dentre a relação da Cannabis sativa ou maconha e a saúde humana, há vários efeitos positivos e negativos que podem variar de acordo com a condição psicológica de cada usuário e o uso ou abuso da droga. No entanto, os pesquisadores, divergem quanto a nocividade e utilização medicinal

O tetraidrocanabinol (THC) é o principal responsável pelos efeitos psíquicos da droga no organismo, sendo bastante lipossolúvel. Metabolizado no fígado, é bio-transformada em um metabólito mais potente que o THC.

Uso Medicinal

Entre as possibilidades de uso medicinal já reconhecida para a Cannabis está seu efeito analgésico sua capacidade sedativa e mio-relaxante, capaz de não só potencializar a ação de opióides, diminuindo seus efeitos colaterais, inclusive de obstipação em portadores de dor crônica. No seu potencial terapêutico também está sua capacidade de restaurar o apetite e/ou controle das náuseas e vômitos sendo por isto utilizada para aliviar sintomas relacionados ao tratamento de câncer, AIDS 

Baker et al. (2003) em artigo para o Lancet acrescenta ainda que já foi utilizada como anticonvulsivante, ansiolítico, analgésico, antiemético para o tratamento de cólicas, asma, e dismenorréia e que vem sendo pesquisada para tratamento doenças neurológicas espásticas (esclerose múltipla e síndrome de Tourette), além das possibilidades terapêuticas de intervenção nos receptores endocanabinóides recentemente descobertos, contudo, este autor alerta sobre a necessidade de maiores pesquisas sobretudo sobre seu possível efeito neuroprotetor.

A Cannabis pode ser considerada um remédio leve e de toxicidade aguda baixa. Há relatos de sucesso no tratamento de depressão e insônia, casos em que os remédios disponíveis no mercado, embora sejam mais eficientes, são também bem mais agressivos e têm maior potencial de dependência. Estudos recentes, mostraram que o THC, principal componente psicoativo da Cannabis, destruiu células cancerígenas em animais induzindo as células cancerígenas a produzirem uma substância gordurosa chamada "ceramida", a qual faz com que a célula cancerosa "devore a si mesma". Outro experimento mostrou que o vírus SIV, variante do HIV em macacos, teve seu avanço freado, sua carga viral e replicação reduzidas

Incluem-se, em uso medicinal, a redução da pressão intraocular, o controle da epilepsia severa (Síndrome de Dravet) tratamento da esclerose amiotrófica e trauma raquimedular [carece de fontes], bem como a dor de natureza neuropática.

Dois psiquiatras brasileiros, Dartiu Xavier e Eliseu Labigalini, fizeram uma experiência interessante. Incentivaram dependentes de crack a fumar maconha no processo de largar o vício. Resultado: 68% deles abandonaram o crack e, depois, pararam espontaneamente com a maconha, um índice altíssimo. Segundo eles, a maconha é um remédio feito sob medida para combater a dependência de crack e cocaína, porque estimula o apetite e combate a ansiedade, dois problemas sérios para cocainômanos. Dartiu e Eliseu pretendiam continuar as pesquisas, mas se depararam com problemas para conseguir financiamento e apoio dos órgãos públicos à época desta publicação (2002)

Homeopatia

Entre as formas de uso medicinal desta planta, nas variedades C. índica e C. sativa, está a homeopatia, um tipo de medicina complementar com pelo menos dois séculos de existência. Entre os antigos fabricantes farmacêuticos do séc XIX (Boericke & Tafel, Lilly, Merrell Company, etc.) encontravam-se tanto extratos, como diluições homeopáticas que eram livremente comercializadas. No início do séc. XX também foram proibidas e recentemente tem voltado ao mercado, uma das mais conhecidas formas de tintura alcoólica atualmente em uso é o Sativex (vide bula).

A utilização da Cannabis nessa especialidade da medicina se deve ao próprio Samuel Hahnemann (1755-1843) em 1796. É citada no artigo do Organon que trata da auto-experimentação de medicamentos para descoberta dos "análogos morbíficos adequados" à cura pela lei dos semelhantes. Nessa mesma nota de referência à cannabis, ele também se refere a outras plantas conhecidas por seus princípios ativos com ação nos sistema nervoso até hoje utilizadas no tratamento homeopático dos distúrbios mentais, como por exemplo: amanita, belladonna, chamomilla, hyosciamus, opium, stramonium, entre outras. Observe-se porém que, na perspectiva da homeopatia, administrando aos doentes doses infinitesimais, as substâncias apresentam propriedades específicas (referentes à sua patogenética intrínseca), que não são necessariamente as mesmas obtidas por concentração de determinados componentes conhecidos como "elemento ativo". Bontempo, destaca o uso da Cannabis sativa para o tratamento "doenças mentais" (psicose, histeria, delirium tremens, impossibilidade de prestar atenção (TDAH?), bruxismo e outros sintomas) onde destaca seu uso, por excelência, para insônia (em dose de 5 a 15 gotas da tintura-mãe); doenças (e sintomas) neurológicos (epilepsia, no pequeno mal, enxaqueca, vertigens) além da indicação para algumas formas de doenças cardíacas e distúrbios do aparelho reprodutivo e urinário incluindo infecções.

10 benefícios da maconha medicinal, que não temos como negar.

Se você tiver uma dessas condições, talvez possa ser uma boa hora de você ‘abrir a mente’ e ver pelo que também lutamos. Maconha é muito mais que recreacional, maconha é medicinal.

Top-10-Benefícios-da-Maconha
Os dias de Reefer Madness (filme americano educacional contra o uso da maconha lançado em 1936) estão cada vez mais longe, mas o público ainda é muito desinformado sobre a maconha, que particularmente concentra uma miríade de maravilhosos benefícios para a saúde. Aqui estão 10 (fora os incontáveis) benefícios à saúde que a maconha possui. Dito isso, é simplesmente desconcertante que a maconha medicinal não seja legal na maior parte do mundo e continua sendo mantida com uma reputação negativa.

1- Câncer

Existem um monte de teorias infundadas declarando que a maconha pode causar câncer no pulmão porque sua fumaça é inalada, como a do cigarro. Isso simplesmente não é verdade. A fumaça do cigarro causa câncer porque o tabaco é radioativo, enquanto a maconha não. Na verdade, a Associação Americana de Pesquisa do Câncer descobriu que a maconha realmente funciona para retardar o crescimento do tumor nos pulmões, seios, e, provavelmente, no cérebro.

Recentemente, um estudo publicado em outubro na revista Addictive Behaviors mostrou que o canabidiol (CBD) pode reduzir a necessidade pelo tabaco. Os participantes foram separados em um grupo de teste, que recebeu o CBD por meio de um inalador, e um grupo de controle, que recebeu placebo. Este último grupo não mostrou nenhuma alteração na quantidade de cigarros fumados por dia. Já o grupo de teste fumou, em média, menos 40% da quantidade inicial depois de uma semana consumindo CBD.

2- Convulsões

A maconha é um relaxante muscular e possui qualidades ‘’antiespasmódicas’’ que têm provado ser um tratamento efetivo contra convulsões. Existem atualmente incontáveis casos de pessoas que sofrem de convulsões e que foram capazes de obter uma melhoria através do uso da maconha.

3- Enxaqueca

Desde que a maconha medicinal foi legalizada na Califórnia, os médicos têm relatado que foram capazes de tratar mais de 300 mil casos de enxaqueca, que a medicina convencional não conseguiu, através da maconha. E isso não é apenas porque é fácil fingir ter enxaqueca, certo? Certo!

4- Glaucoma

O tratamento de glaucoma através da maconha tem sido um dos mais bem documentados. Não há um único estudo válido que exista que desminta os poderosos e populares efeitos da maconha em pacientes com glaucoma. Pega essa, proibicionistas.

5- Esclerose múltipla

Os efeitos da maconha em pacientes com esclerose múltipla tornaram-se melhor documentados quando o ex-apresentador de um talk show, Montel Williams, começou a usar maconha para tratar sua esclerose múltipla. A maconha trabalha para deter os efeitos neurológicos e espasmos musculares que vêm dessa doença fatal.

6- Síndrome de Tourette e TOC

Assim como a maconha pode tratar convulsões e esclerose múltipla, os efeitos da maconha diminuem os tiques naqueles que sofrem da síndrome de Tourette e os obsessivos sintomas neurológicos em pessoas com TOC.

7- Déficit de atenção

Um estudo bem documentado da Universidade do Sul da Califórnia (USC) feito há cerca de um ano atrás mostrou que a maconha não só é a alternativa perfeita para a Ritalina, como também trata a doença sem nenhum dos efeitos colaterais farmacêuticos.

8- Síndrome do intestino irritável e doença de Crohn

A maconha tem mostrado que pode ajudar com sintomas de doenças crônicas como náusea, dor abdominal e diarreia.

9- Alzheimer

Apesar do que você pode ter ouvido falar sobre os efeitos da maconha no cérebro, o Scripps Institute, em 2006, provou que o THC encontrado na maconha ajuda a prevenir o Alzheimer, bloqueando os depósitos no cérebro que causam essa doença. Além de numerosos estudos que apontam que a Cannabis medicinal tem um efeito benéfico sobre os pacientes que sofrem  Alzheimer. Em um dos estudos mais abrangentes realizados até agora, Sikorin e Klein acompanharam o progresso de 60 pacientes com demência, durante três anos.

10- Síndrome pré-menstrual

Da próxima vez que a sua namorada estiver reclamando que você fuma muita maconha sugira a ela um baseado. Assim como a maconha é usada para tratar a síndrome do intestino irritável, pode ser usada também para tratar cólicas e desconfortos que causam o ataque da sua namorada contra você. O uso da maconha para TPM certamente vai abrir caminho de volta à felicidade conjugal.

Agora que você leu tudo isso, será capaz realmente de deixar que qualquer um te convença de que precisa de uma reabilitação dos seus conceitos sobre a maconha? Podemos dizer que este é um ótimo caso para demonstrar que a maconha É a própria reabilitação!

E você, já utilizou ou utiliza a maconha com fins medicinais? Relate sua experiência!

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Só a maconha pode melhorar o ambiente, a vida e a economia do planeta Terra.

Só a maconha é capaz de salvar o nosso planetaMaconha é a planta mais versátil que conhecemos dentro do planeta Terra! São mais de 25 mil produtos e outras centenas de aplicações medicinais que podem e devem ser aproveitados através da planta maconha. 



Legalizar a maconha é a melhor maneira de ajudar a salvar o meio ambiente do nosso planeta! A maconha é a planta mais versátil que o planeta Terra conhece, serve de alimento, combustível, fibra, medicamento, diversão.. são infinitas possibilidades que devem ser aproveitadas, lembrando ainda que tudo é de maneira sustentável, ou seja, sem agredir a natureza. 

 CÂNHAMO NA AGRICULTURA 

 As plantações de cânhamo são super resistentes e úteis, não é necessário usar nenhum fertilizante ou controle de pragas. O cânhamo contém todos os 10 aminoácidos essenciais para formar uma fonte de proteína vegetal completa. A plantação de cânhamo é muito positiva para o nosso planeta. De acordo com o Grupo de Trabalho Ambiental, proteínas animais podem gerar até 20 vezes as emissões prejudiciais ao clima em comparação com fontes de proteína de origem vegetal. Alimentos animais são considerados grandes desencadeadores de doença conforme afirma relatórios da ONU.

Plantação de cânhamo é super resistente, não é necessário usar nenhum fertilizante ou controle de pragas.

Napoleão Bonaparte travou uma guerra por maconha em 1812

Em um passado não muito distante, se travaram guerras, por cânhamo. Em 1812, o imperador francês Napoleão Bonaparte invadiu a Rússia, com a finalidade de obter acesso aos fornecimentos de cânhamo russo.

Napoleão Bonaparte travou uma guerra por maconha em 1812

Grower não é traficante

Criança paranaense receberá Canabidiol do Governo

União e governo paranaense terão que fornecer canabidiol a criança com epilepsia:

 A União e o estado do Paraná vão ter que fornecer para uma criança de 12 anos de Foz do Iguaçu (região Oeste do estado) um medicamento produzido a base de canabidiol, substância derivada da maconha.



Na última semana, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) manteve liminar que determinou o custeio de um frasco do remédio por dia pelos réus, sob pena de multa diária de R$ 1 mil, valor próximo ao preço estimado do produto.

 Desde quando tinha 1 ano de idade, o jovem apresenta sintomas de epilepsia refratária, doença caracterizada por distúrbios neurológicos temporários com convulsões, que ocorrem na forma de crises repetidas. A mãe utilizava vários fármacos fornecidos pelo estado, no entanto, os efeitos eram mínimos. Conforme o médico que acompanha o menor atualmente, o uso do Hemp Oil é uma alternativa para reduzir ou eliminar as crises.

Em abril, a mãe da criança ingressou com o processo na 2ª Vara Federal do município. O perito judicial que avaliou o caso atestou a urgência do uso. Em primeira instância, foi concedida uma liminar favorável aos autores, tendo a Justiça também determinado o acompanhamento dos resultados. A Advocacia-Geral da União recorreu ao tribunal alegando o autor não comprovou o risco de dano irreparável. Na 3ª Turma, a relatora do processo, desembargadora federal Marga Inge Barth Tessler, manteve a antecipação de tutela. "A perícia judicial concordou com o diagnóstico do tratamento, concluindo ser imprescindível a medicação pretendida, já que 'o autor usa uma série de anticonvulsivantes em associação sem sucesso no controle da sintomatologia' e 'entre outros diagnósticos os casos de epilepsia refratária tem sido objeto do emprego do canabidiol com resultados promissores", afirmou.

 O caso segue sob análise da Justiça Federal paranaense.

 http://www.bonde.com.br/saude/saude-e-ambiente/uniao-e-governo-paranaense-terao-que-fornecer-canabidiol-a-crianca-com-epilepsia-421456.html

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Fotos maconha









Um pouco da história da maconha no Brasil até 1920

A Propaganda na imagem abaixo das "Cigarretes Grimault" conta um pouco da história da maconha no Brasil. 

 Até a década de 1920, a canábis era indicada para vários problemas de saúde. 

Muitos catálogos de produtos farmacêuticos e receituários médicos da época indicavam a maconha para males como asma, bronquite, insônia e até para flatos e ronco! 

 Fonte: Adaptado da Wikipedia

sábado, 27 de agosto de 2016

sexta-feira, 8 de julho de 2016

The Magic Weed - History Of Marijuana

How Weed Help Humans - Amazing New CNN Documentary

Strain Hunters High Report - Somewhere in Africa 2016

The Dark Grey Market: Canadian Cannabis

Efectos de la Marihuana o Cannabis | documental

Historia de la Marihuana

MARCHA MUNDIAL POR LA MARIHUANA / Medellín 2016 [Marcha Cannabica]

quarta-feira, 8 de junho de 2016

USO REGULAR DE SURUMA DIMINUI O TAMANHO DO CÉREBRO, DIZ PESQUISA

Fumar suruma por mais de seis anos pode causar anormalidades no funcionamento e na estrutura do cérebro. 

O efeito, porém, depende da idade em que a pessoa começou a fumar a droga. Esta é a conclusão de uma pesquisa publicada na passada segunda-feira no periódico Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS). 

Testes – Participaram na pesquisa 48 usuários adultos e 62 não usuários, separados conforme sexo, idade e etnia. Todos foram submetidos exames de ressonância magnética e a testes cognitivos. Tabagismo e consumo de álcool foram levados em consideração para a análise dos resultados. Os pesquisadores concluíram que os usuários de suruma têm um menor volume cerebral numa parte do cérebro associada ao vício, o córtex orbitofrontal, mas maior conectividade cerebral do que as pessoas que não fumam a droga. 

Nos testes cognitivos, os usuários de suruma demonstraram menor QI. Os estudiosos, entretanto, não associaram esse resultado ao menor volume cerebral. Idade — Foi verificado também que, quanto mais cedo começa o consumo regular de suruma, maior é a sua interferência na estrutura e no funcionamento do cérebro. “Esse efeito começa depois de seis a oito anos de uso contínuo. Porém, usuários de suruma continuam a exibir conectividade cerebral mais intensa do que os não usuários”, diz Francesca. 

 De acordo com os autores, o consumo crônico da erva faz com que os neurônios dos usuários se adaptem à diminuição do volume cerebral. Eles alertam, no entanto, que são precisos outros estudos para determinar se essa mudança é reversível e se ela acontece, também, em usuários ocasionais da droga.

Óleo de marijuana cura cancro de intestino de homem com expectativa de vida de apenas 18 meses

Um paciente com cancro de intestino, ao qual os médicos deram apenas 18 meses de vida, afirma ter sido curado através do óleo de Cannabis sativa – vulgarmente chamada de marijuana. óleo de cannabis sativa

David Hibbitt, de 33 anos, foi diagnosticado com a doença em julho de 2012 e submetido a quimioterapia, radioterapia e cirurgia para remover o seu intestino grosso. Os médicos disseram que o cancro era terminal, então ele decidiu testar o óleo de marijuana como um último recurso. Agora, após exames realizados em janeiro, ele diz ter sido milagrosamente curado, creditando o feito à droga. “Amigos tinham-me falado sobre o óleo de marijuana e eu refutei a hipótese. Eu nunca fui favorável às drogas. Mas, em fevereiro do ano passado foi-me dito que eu tinha apenas 18 meses a cinco anos de vida e eu senti que eu tinha que tentar de tudo. 

Eu senti que a quimioterapia estava-me matando e eu não tinha nada a perder”, disse Hibbitt, de Staffordshire, Inglaterra. Depois de pesquisar as suas opções na internet, ele descobriu muitas informações sobre o óleo da droga e decidiu tentar. “Eu pago cerca de 75,50€ por uma grama de um individuo que eu conheci. Isso dura-me cerca de um mês, normalmente. A droga entorpece um pouco e às vezes bate bem forte, mas bem longe de ser tão mau como a quimioterapia. Eu só quero fazer outras pessoas conscientes de que existem outras opções”, relatou. Hibbitt foi diagnosticado com cancro de intestino depois de, inicialmente, descobrir que ele estava sofrendo de hemorróidas. 


Depois de passar por tratamento no Hospital Christie, em Manchester, o cancro voltou e ele tinha uma outra operação em julho de 2013, seguida por mais quimioterapia. Um mês depois, ele encontrou um caroço, e foi-lhe dito que o cancro estava nos gânglios linfáticos na sua virilha. Após chegar a esse extremo e de a sua doença ser dada como incurável, ele resolveu utilizar o óleo. óleo de cannabis sativaEm outubro, ele teve uma operação para remover os linfonodos afetados no Hospital Universitário Real Stoke. Mas ele escolheu continuar a tomar o óleo de Cannabis sativa, em vez de ter mais tratamento, indo contra as novas sessões de quimioterapia. Após uma análise em janeiro, o seu cancro tinha sido totalmente curado. “Eu sinto-me muito bem e espero que minha história ajude outras pessoas”, finalizou Hibbitt. 


Resultado de imagem para david hibbitt
 O Cancer Research UK diz que está ciente de que há pacientes que utilizam o uso de extratos de marijuana para tratar a si mesmos, mas salientou “não há boa evidência” para provar que seja seguro e eficaz. O centro de pesquisa apoia ensaios clínicos sobre a utilização do fármaco e um canabinoide sintético para tratar a doença. Kat Arney, do Cancer Research UK, disse, num comunicado: “Nós sabemos que os canabinoides – as substâncias químicas ativas encontrados na marijuana – podem ter uma série de efeitos diferentes sobre as células cancerígenas cultivadas em laboratório e os tumores de origem animal. Mas, no momento, não há boas evidências de ensaios clínicos para provar que eles podem, com segurança e eficácia, assegurar o tratamento do cancro em pacientes.  

Apesar disso, alguns pacientes com cancro optam por se tratar com extratos de marijuana. Os investigadores estão recolhendo experiências de pacientes para saber se esses tratamentos estão ajudando ou não, ainda que esta seja uma prova de fraqueza em relação aos ensaios clínicos adequadamente geridos. A Cancer Research UK apoia os ensaios clínicos para o tratamento de cancro com drogas à base de canabinoides, a fim de recolher dados sólidos sobre os benefícios nas pessoas com cancro”. São já muitos os relatos de curas deste tipo. Naturalmente que as farmacêuticas e toda a indústria do cancro não vê com bons olhos que exista uma substância que cure as pessoas sem que estas tenham de recorrer aos tratamentos clássicos. Naturalmente que eles não querem ficar de fora. Se um dia tiverem de admitir que de facto esta substância é eficaz irão encontrar maneira de a produzir sinteticamente, para que continuem a ganhar dinheiro. No entanto, como todos sabemos, indústria farmacêutica está mais interessada em manter doenças crónicas do que encontrar soluções para curas. Eu diria, que vale a pena tentar tratamentos alternativos.

                                            óleo de cannabis sativa

                                            Resultado de imagem para david hibbitt

                                            Resultado de imagem para david hibbitt

                                            Resultado de imagem para david hibbitt

 Fonte: Jornal da Ciência

terça-feira, 7 de junho de 2016

Cannabis Energy Drink – Acredita?!

Resultado de imagem para cannabis energy drinkJá pensou em beber maconha? A novidade chegou pra gente através da caixinha de contato ali no final do site, se liga: “E ai hempada estou aqui para divulgar um trabalho talvez ainda não muito conhecido pelos irmãos canábicos da atualidade , acompanho e fumo por quase 9 anos da minha vida e não tinha visto algo parecido mas estou muito alegre em saber que a nossa florzinha esta sendo cada vez mais divulgada em produtos de vários países . Acredito que estamos caminhado cada vez mais ao rumo da regularização da nossa verdinha , embora a legalização ainda esteja muito longe. Mais um projeto regulamentar pode ate ser que estamos perto pois força de vontade temos , prova disso são as marchas cada vez com mais frequência e cada vez multiplicando o número de manifestantes. Enfim esse projeto AQUI achei muito interessante , pesquisei sobre e tireis conclusões que nesse drink derivado do cânhamo e também sementes leva quantidades mínimas de THC”, foi o contato de Italo Lorran.

9707cf4a917c11e2bfbf22000a9f1935_7

Resultado de imagem para cannabis energy drink

Resultado de imagem para cannabis energy drink

Resultado de imagem para cannabis energy drink

Resultado de imagem para cannabis energy drink Resultado de imagem para cannabis energy drink

Resultado de imagem para cannabis energy drink